//
you're reading...
Cultura e Entretenimento, Resenhas, Todos

XV Bienal do Livro no Rio de Janeiro (Publicado no site da Revista Cultural Novitas)

Por Renata Arruda

Ontem, dia 01/02 foi oficialmente aberta a 15ª edição da Bienal do Livro no Rio de Janeiro, localizada nos pavilhões Rio Centro. Com expectativa de que 640 mil pessoas passem pelo evento e que cerca de 2,5 milhões de títulos sejam vendidos, a Bienal deste ano resolveu focalizar em obras e autores sucesso de público, principalmente entre o público jovem cuja programação contará com as presenças de Thalita Rebouças, Hilary Duff e Anne Rice – a precursora das histórias contemporâneas de vampiros. Como país homenageado, o escolhido para esta edição foi o próprio Brasil. “Tendo em vista que o país está despertando interesse na comunidade internacional e sendo homenageado nas feiras literárias mundo afora, resolvemos escolher o próprio Brasil”, declarou em entrevista ao Globo, Sonia Jardim, presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros e rsponsável pela Bienal ao lado da empresa Fagga.

“A Bienal não é para um nicho específico; ela é um evento para a família toda”, afirmou Jardim.

E já pode-se dizer que a Bienal está sendo um sucesso. Segundo a organização do evento, que não divulgou números, o primeiro dia ultrapassou o recorde de público. Talvez um dos motivos para tal feito, tenha sido a presença de autoridades na mesa de abertura como a presidenta Dilma Rousseff; o governador do Rio, Sérgio Cabral e seu vice, Luiz Fernando Pezão; o prefeito Eduardo Paes; os ministros da Educação e Cultura, Fernando Haddad e Ana de Hollanda; o presidente da Academia Brasileira de Letras, Marcos Vinicius Villaça e Sonia Jardim.

Dilma na Bienal/ Fonte: O Globo

Porém, pelo mesmo motivo da presença de autoridades, estudantes, professores e funcionários públicos organizaram uma manifestação exigindo que Fernando Haddad recebesse uma comissão para discutir a questão da greve e do reajuste dos salários. Até mesmo o cartunista Ziraldo foi vaiado na entrada do evento, aos gritos de “Puxa-saco do PT”. Mas logo veio a compensação: dentro do Pavilhão, Ziraldo foi recebido aos gritos por crianças e autografou até em iPad. Com relação a manifestação, mesmo após conversa com Haddad, nenhuma negociação foi concretizada.

Dilma, que esteve presente para lançar o Programa do Livro Popular (PLP), que visa fomentar a comercialização de livros a R$10,00, afirmou em discurso que “a principal estrela aqui é o livro. O tempo passa e ele serve de depositário da nossa memória” e cumprimentou os autores por intermédio de Ziraldo, que estava presente na audiência.

Dilma recebeu a placa alusiva à homenagem da Bienal do Livro 2011 do Brasil e assinou o decreto de lançamento do Plano Nacional do Livro e Leitura, em parceria com a Fundação da Biblioteca Nacional.

No discurso de Sonia, ela chamou atenção para o crescimento de 13% na venda de livros em 2010 e ressaltou a importância de se ampliar o hábito de leitura, principalmente nos professores. Ana de Holanda afirmou que o objetivo “é zerar o número de cidades sem bibliotecas” e o governador Sérgio Cabral declarou (sobre a Biblioteca Parque de Manguinhos – que ganhou o prêmio José Olympio 2011) já ter emprestado mais de 20 mil livros e nunca ter havido problemas com a devolução dos mesmos.

Mulher e Ponto/ Divulgação

Na programação do primeiro dia, Cora Ronái mediou o bate-papo com as editoras Vivian Wyler e Luciana Villas-Boas, no espaço Mulher e Ponto, situado no Pavilhão Verde. O tema do debate foi “Os bastidores do livro e as mulheres”, que discutia o papel das mulheres como editoras. Perguntadas sobre dicas que dariam aos escritores iniciantes, ambas concordaram que os blogs são excelentes ferramentas para o excercício da escrita e para a firmação da “marca” do autor, porém Luciana Villas-Boas afirmou que “Os bons romances nunca vão vir de alguém que fica o dia inteiro no facebook . O espaço contou também com a visita da escritora Thalita Rebouças (que participará da mesa “As leitoras adolescentes” no dia 05/09) e foi muito assediada por repórteres e fãs.

Mais tarde, no auditório do Pavilhão Azul, aconteceu a mesa “Saberes do Sabor”, com Flávia Quaresma e Teresa Corção, onde Flávia afirmou que “comida é afeto” e, em resposta à pergunta da audiência, deu a dica para as crianças valorizarem os alimentos: “Mostre que é prazeroso, leve-as à feira, resgate o afeto pelo ato de cozinhar”, apoiada por Teresa que declarou “faça bagunça na cozinha, crie. Não deixe a preguiça de pilotar o fogão impedir a experimentação”. Na mesa, também conversaram sobre cursos de culinária ”muitos cursos bons de gastronomia, mas falta ainda um de cozinheiro”, alimentos orgânicos e ainda deram receita de risoto de camarão, a pedido da audiencia.

Anúncios

About Renata Arruda

Redatora e tradutora.

Discussão

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: